Produtores comemoram a grande produção de milho no Nordeste

 

 

A safrinha está mantida e recorde já é esperado!

 

Imagem retirada da internet 

 

A região nordeste do Brasil, tem um grande consumo de grãos como o milho e a soja. Esse consumo é por conta da a alta demanda para a produção avícola, pecuária de leite e de corte, entre outros produtos.

Os grandes produtores de grãos no Nordeste estão localizados nos estados da Bahia, Piauí, Sergipe e Maranhão. Em Alagoas já está sendo produzido soja e milho e, em Pernambuco, foi lançado o projeto de incentivo e financiamento para o plantio de grãos, através da AVIPE – Associação Avícola de Pernambuco.

Trazemos como destaque nessa matéria o estado de Sergipe, que é um dos principais fornecedores de milho para o setor avícola, principalmente o de Pernambuco. Estima-se que a produção durante 2020 foi de 1,5 milhões de toneladas milho (30% já foi comercializado), podendo atender todo o setor avícola dos estados de Pernambuco e Paraíba até o final de 2021.

O estado de Pernambuco consome em média 100 toneladas/mês. Segundo levantamento feito por nossa redação, a média dos estoques nas granjas do setor avícola em Pernambuco tem grãos até março – Pernambuco é o maior consumidor de grãos do Norte/Nordeste.

Outro detalhe importante, todo o milho produzido no estado de Sergipe é comercializado no mercado interno, pela a proximidade com os estados de Alagoas, Pernambuco e Paraíba, fazendo acontecer uma valorização do produto.

Os principais consumidores de grãos no Nordeste são os estados da Bahia, Ceará e Pernambuco, onde, a principal atividade consumidora é a avicultura.

Os estados da Bahia, Maranhão e Piauí também atendem o mercado interno e exportam bastante (milho e soja). No Maranhão foi produzido cerca de 2 milhões de toneladas de milho e cerca de 60% já foi comercializado, o restante está armazenado, visando a comercialização para o mercado interno e exportação.  

A produção de milho no Brasil está alta e, as exportações em comparação com o mesmo período de 2020 foram 30% menor, com isso, temos mais ofertas de milho, suficiente para a produção avícola no Brasil.

Outra informação colhida, é que no estado do Piauí ainda tem muito milho estocado nas fazendas produtoras e, a colheita da safrinha da soja já está próxima de acontecer, com isso, os produtores devem fazer o escoamento desse milho estocado o quanto antes, para iniciar a estocagem da soja. Isso é uma oportunidade de novas negociações, para que o avicultor consiga uma redução no valor atual do milho, que, é um dos calos para manter a produção de aves e ovos em todo o país.

Os produtores de milho e soja estão com a melhor remuneração da história. Esses dois setores são fundamentais para a existência e continuidade do setor avícola, mas, estão com preços a patamares bem acima do razoável, dificultando e muito a sobrevivência de quem produz aves e ovos – do pequeno ao grande produtor.

Atualmente, o produtor de ovos não tem conseguido repassar para o consumidor o valor excedente do custo de produção, chegando a prejuízos de um a três reais por bandeja produzida (variando de acordo com o porte da granja).

A Avicultura Nordestina pode ficar tranquila que até a chegada da próxima safra que será parte no mês de fevereiro e as outras nos meses de maio e setembro de 2021, haverá disponibilidade de grãos, principalmente do milho.

 

 

Redação: Avicultura do Nordeste

Compartilhe:

Deixe um comentário